Notícias

Descontada a inflação, receita de serviços teve queda de 6,6% em abril

18/06/2015

Fonte: CNC

Autor: CNC

Em abril a receita bruta de serviços cresceu 1,7% em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo IBGE em 18 de junho. Esse resultado representa uma forte desaceleração ante a variação interanual registrada em março, quando, influenciada pelo efeito calendário, a receita do setor avançou 6,1% em termos nominais. No acumulado do ano a variação de receita de serviços (+2,6%) aponta para uma perda de ritmo ante o crescimento verificado em 2014 (+6,0%). Em 2012 e 2013 o faturamento do setor avançou 10,0% e 8,5%, respectivamente.

Descontada a inflação de serviços (+8,3% nos 12 meses encerrados em abril deste ano, segundo o IPCA), a receita real do setor apresentou recuo 6,6% – o décimo quarto consecutivo nesse tipo de comparação e o terceiro maior da série histórica. De acordo com Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), essa queda mensal contribuiu para acentuar o resultado negativo do primeiro trimestre (-5,6%), levando o setor de serviços a acumular uma retração de 5,8% nos quatro primeiros meses do ano.

A série da PMS teve início em janeiro de 2012 e não conta com um deflator próprio nem com ajustes sazonais. Os serviços de educação, saúde e financeiros não são pesquisados. Ainda assim, os demais subsetores respondem por 36,5% de todo o valor adicionado bruto gerado pela economia e por 34,6% do pessoal ocupado no País.